Olá visitante Entrar
Olá visitante Entrar

CUIDADO: O USO INADEQUADO DAS REDES SOCIAIS PODE DESTRUIR SEU RELACIONAMENTO!

por Junior Meireles quarta-feira, 07 de junho, 2017 239486 ARTIGOS, CASADOS, FAMÍLIA, NAMORADOS, NOIVOS

Seja bem vindo ao mundo pós-moderno. Um tempo de inovações e mudanças rápidas. O que era ontem já não é mais do mesmo jeito hoje, tornou-se ultrapassado. Qualquer coisa que aconteça do outro lado do mundo é compartilhado, vira notícia e você fica sabendo aqui e agora, em tempo real. Embora este tempo seja marcado pelo desejo desenfreado de compartilhar, ironicamente… uma marca desta geração pós-moderna é o individualismo e sua maior aliada é a vida online.

Já percebeu como as pessoas estão conectadas a internet o tempo todo? 

É inegável que a tecnologia e as redes sociais trouxeram muita facilidade, conforto e também a possibilidade de interagir com indivíduos que estão geograficamente muito distantes da gente, fazendo com que as relações se tornem mais abrangentes. É bom poder ligar e falar com quem amamos; matar a saudade de quem está longe; saber noticias; ver aqueles que não víamos há muito tempo e receber um: “estou bem” quando estamos preocupados, é um baita alivio!

Entretanto, não podemos negar também que a mesma tecnologia que trouxe diversos benefícios, tem gerado muitos problemas, inclusive para os relacionamentos.

Diga-me uma coisa: você por acaso conhece algum casal que enfrentou algum problema no relacionamento por causa das redes sociais? Tenho certeza que sim, eu mesmo sem muito esforço consigo me lembrar de mais de dez casais que enfrentaram momentos difíceis e alguns até estão separados por causa do mundo digital.

Deixe-me descrever 7 formas de como o mundo digital prejudica os relacionamentos:

  1. Juntos, mas separados: Se você for ao shopping e prestar atenção nas mesas vai perceber que as pessoas estão ali, mas não estão, estão de corpo, mas a mente vaga longe. Infelizmente, muitas relações têm sido vitimadas pela supervalorização do digital. Em virtude do descontrole em relação à vida virtual acabou-se perdendo muito do encanto da troca de experiências do dia a dia, do olho no olho e da mão na mão. Quase sempre as pessoas estão com os olhos voltados para o celular, não prestam mais atenção no outro e no que ele diz.

Parece que as relações presenciais foram substituídas pelo contato separado por uma tela ou por dois teclados. Conheço casais que moram próximos um do outro, mas que só se relacionam bem através da internet, quando estão online conversam sobre tudo, mas quando estão juntos preferem dar atenção aos amigos virtuais e acabam brigando por algum motivo fútil.

  1. A prioridade tem sido registrar o momento e não vivê-lo: É comum ver casais que saem, assentam-se juntos e que em vez de aproveitar o momento querem registrá-lo para compartilhar nas redes sociais e após terem compartilhado ficam atualizando seus perfis para saber quem curtiu ou comentou. Alguns nem tiram os olhos do celular. Não são capazes de viver o momento e acabam colecionando fotos ao invés de colecionarem lembranças vivas na memória. 

A permanência da maioria das pessoas online quando estão ao lado de quem “amam” revela que elas nem sempre desejam viver o momento ou curtir a pessoa amada, mas que na maioria das vezes estão em busca do momento perfeito para compartilhar e ganhar likes.

  1. A inversão do que é valioso: Muitos preferem compartilhar fotos do que compartilhar os abraços, carinhos e olhares. Ao que parece a curtida dos amigos virtuais vale mais que curtir o momento com o amor real e os comentários na foto são mais valiosos que uma boa conversa olho no olho com quem se ama.

Basta dar uma volta pelos restaurantes, shoppings e praças que você vai ver comprovada a frase: “A internet aproxima quem está longe e afasta quem está perto.”. A verdade é que nós ganhamos a troca de declarações e mensagens de afeto online, mas perdemos o toque e o olho no olho. As pessoas estão tão conectadas e tão presas ao mundo virtual, que às vezes a vida se confunde.

  1. Ciúmes do parceiro: Quem nunca teve a curiosidade de entrar no perfil do parceiro(a) para dar aquela “espiadinha”? Para muita gente, esse desejo é quase que inevitável. O problema é que, se no mundo real, já existem estímulos suficientes para causar desavenças entre os casais, no virtual é ainda pior.

Por isso, não é difícil encontrar relacionamentos que terminaram por causa de janelas de bate-papo ou um emoticon suspeito. Assim, mesmo que a internet não tenha criado a insegurança ou o ciúme, não há dúvidas de que ela potencializou e, muito, esses sentimentos.

Acontece que antes, a suspeita podia nascer dos excessos de quilômetros rodados registrados no carro, da conta bancária, do horário que chegou em casa, um cheiro diferente na roupa ou algum comportamento estranho. Agora, qualquer rede social pode fazer disparar o alarme. Se comenta demais as fotografias ou as palavras de alguém… o que escreve… como reage o outro… tudo isso pode alimentar o ciúmes no parceiro.

  1. Infidelidade online: A maioria das pessoas que descobriram que foram traídas conta que o parceiro demonstrou uma obsessão repentina pelo celular ou pelas redes sociais. Eles nunca compartilhavam senhas ou deixavam o celular desbloqueado, levavam o celular para cima e para baixo todo o tempo, checavam constantemente suas mensagens e ligações, apagavam os registros e usavam o telefone em horas impróprias.

Segundo o psicólogo Alexandre Bez, especializado em relacionamentos conjugais, após o ano de 1990, com a popularização da internet, houve um aumento no número de traições, tanto de homens como de mulheres.

  1. Quanto mais usurários, mais divórcios: Jeff Landers escreveu em seu artigo How Social Media Can Affect Your Divorce (Como as mídias sociais podem afetar seu divórcio) que: “cada vez mais vejo as redes sociais e as comunicações digitais contribuindo para a dissolução de um relacionamento”.[1]

De acordo com um estudo publicado no site Christian Post: o Facebook tem sido relacionado a um aumento no número de divórcios. Na medida em que o número de usuários do Facebook aumenta, a taxa de divórcios também cresce, segundo o estudo. Isso não é de todo surpreendente, uma vez que um terço dos pedidos de divórcio em 2011 tem citado o Facebook como o motivo, reportou o New York Daily News.

Não só o facebook, mas um levantamento feito pela Associação de Advogados Matrimoniais da Itália revela que o WhatsApp — aplicativo de troca de mensagens pelo celular — é citado em 40% dos casos de divórcio naquele país. De acordo com o presidente da entidade, Gian Ettore Gassani, em entrevista ao jornal The New York Times, as mensagens trocadas pelo aplicativo são listadas em inúmeros processos como evidências de traição. Ainda de acordo com Gassani, há um impulso para a traição causado pela tecnologia.

  1. Exposição desnecessária: O objetivo das redes sociais é permitir que você compartilhe, compartilhe suas fotos, ideias, gostos e tudo o que você quiser. Pronto, elas cumpriram seus objetivos, as pessoas se tornaram escravas da pergunta: “No que você está pensando?” e do botão publicar. Elas compartilham tudo o que vivem e se esquecem que o Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat, Tinder, entre outras redes sociais são como uma janela que abrimos para nossa vida, um lugar onde as pessoas podem ir quando estão curiosas para saber o que estamos fazendo, como estamos e com quem estamos.

É comum ao entrarmos nas redes sociais nos deparar com pessoas compartilhando coisas muito intimas. Cada dia mais, as pessoas parecem ter tanta sede de compartilhar um fato novo que compartilham de tudo, sem o mínimo de senso de perigo ou ridículo. Para elas não importa o que está compartilhando, importa ter algo novo para compartilhar e atrair atenção.

Um erro fatal dos casais é compartilhar tudo o que fazem nas redes sociais. Nada de teoria da conspiração, mas você já imaginou que pode ter alguém em suas redes sociais que tenha algum interesse por você ou por seu parceiro e só te adicionou como amigo para poder saber detalhes sobre você? Quanto mais você expõem sua vida e seus relacionamentos nas redes sociais, mais informações fornecem, seja para pessoas neutras ou para pessoas com más intenções.

Conclusão: Percebe como a tecnologia que embora seja muito boa pode ser tão destrutiva para as relações? A grande questão é que a tecnologia e as redes sócias não são as vilãs, se forem usadas da maneira correta podem ser muito benéficas, mas se usadas da maneira errada podem gerar resultados prejudiciais. Agora, pense comigo: se a questão é a maneira que usamos, significa que o vilão temos sido nós mesmos que não sabemos usar como convém. Precisamos mudar, antes que seja tarde.

_________________________

Leia também: O melhor presente que você pode oferecer a alguém é o seu tempo!

Promoção: Adquira agora o dois livros mais vendidos em nosso site [casamento começa no namoro e Deus une propósitos] em um combo promocional feito especialmente para você. Olha que legal: De R$ 59,80 Por R$ 42,00. Para comprar, clique aqui!

[1] LANDERS , Jeff. How Social Media Can Affect Your Divorce (Como as mídias sociais podem afetar seu divórcio). Disponível em: www.forbes.com/. Acesso em 24 de junho de 2017.

Imagem: Pinterest