A pornografia do meu namorado é uma quebra do compromisso do casamento? Por John Piper

Lindsey escreve para perguntar: “À medida que tenho considerado os homens que desejam se casar comigo, a pornografia e a luxúria continuam a ressurgir como redutos na vida de meus pretendentes. Estou procurando enxergar os homens com olhos de graça e usar a sabedoria ao mesmo tempo. Entendo que todo pecado, incluindo a luxúria, é afastar-se do prazer em Jesus para uma cisterna seca.
 
“À luz disso, o senhor acredita que é possível que um homem seja forte na fé, encontrando alegria genuína em Jesus e desfrutando de um relacionamento inteiramente satisfatório com ele, enquanto simultaneamente se entrega à luxúria? Acredito que todo pecado pode ser derrotado pelo poder do Espírito Santo, mas também não quero ser ingênua, pois sei que esse assunto é amplo e delicado. Suponho que outra maneira de expressar minha pergunta seria a seguinte: pastor John, a presença de pornografia na vida de um homem significa a quebra do compromisso do casamento, para uma mulher solteira como eu?
 

Quatro perguntas

Bem, ouço pelo menos duas perguntas aqui, e não consigo responder à última: “se é um rompimento do compromisso?” – até responder a algumas outras. Quando penso sobre isso, aqui estão as quatro perguntas que terei que responder. Uma é a própria pergunta que ela fez.
 
Um homem pode obter vitória sobre isso? E um homem não deveria ser capaz de viver uma vida de triunfo mais ou menos regular, em vez de voltar repetidamente à pornografia?
Se ele não pode, isso representa um rompimento do acordo dela se casar com ele?
O que é pornografia? Ela não perguntou. Eu tenho que perguntar.
Ainda mais importante, por que isso está errado?
Então, deixe-me lidar com isso bem rapidamente.
 

O que é pornografia?

Aqui está minha definição. Eu vou omitir questões homossexuais. Vou omitir sexo nos filmes. São questões muito importantes, mas, em maior ou menor grau, a questão com a qual os homens geralmente lidam hoje em dia, ao se envolver na pornografia é olhar para, ou fantasiar sexualmente com mulheres nuas que não sejam sua esposa. É disso que estou falando: olhar ou fantasiar com mulheres nuas. A mulher pode estar fazendo qualquer tipo de coisa, ou apenas parada ali. Mas o ponto é que isso envolve outras mulheres além de sua esposa. Essa é a minha definição.
 

Quatro razões pelas quais a pornografia é algo errado

 
Agora, aqui está o porquê de eu pensar que a pornografia é algo errado. Eu tenho que dizer isso porque, até que o sujeito sinta essas coisas que eu vou dizer agora, sobre o porquê ser errado, não fará sentido para ele que ela lhe diga: “Eu não posso me casar com você”. Isso é tão grandioso que que tenho que dizer: “Mulher, você está muito certa. Não abaixe seus padrões”.
 

1. A pornografia não tem amor

Aqui está o porquê eu penso que pornografia é errado. Número um: a pornografia não é amorosa. É desagradável para as mulheres envolvidas, porque endossa comportamentos e desejos, que as destruirão se não se arrependerem.
 
Não é amoroso para com os futuros maridos delas, pois, ao confirmar, nessas mulheres, um estilo de vida de nudez, isso será destrutivo para os relacionamentos futuros que essas mulheres tentarão ter algum dia.
 
É falta de amor para com os pais dessas mulheres. Coloque-se na posição de pai ou mãe. Essa é sua filha. Como você se sente sobre isso? E aqui está esse sujeito cristão que está endossando, aprovando, ajudando isso a acontecer e confirmando isso, como se ele não estivesse nem aí com esses pais e seus corações partidos.
 
Seus corações estão partidos por causa do comportamento dessa garota, e esse cara não dá a mínima para saber se seus corações estão partidos. Ele está gostando de ver ela partindo seus corações. Então esse é o número um. A pornografia não tem amor.
 

2. Pornografia é adultério

A segunda coisa é que a pornografia é adúltera. Em outras palavras, ela cultiva e busca prazeres mentais e físicos que são feitos por Deus para florescer somente no casamento. Mas eles são procurados em outras mulheres que não nossas esposas. Portanto, Jesus tem palavras muito fortes a dizer sobre isso (Mt 5.27-30).
 

3. A pornografia destrói o amor

Aqui está a terceira coisa. A pornografia é destrutiva para as capacidades de um homem de amar uma mulher puramente por si mesma. Ele está treinando a si mesmo e ao seu corpo, quando se envolve em pornografia, para precisar de corpos e situações cada vez mais diferentes, estranhas e eróticas. Ele está tornando, portanto, mais difícil se contentar com o corpo real da mulher que será oferecida a ele como esposa.
 
O corpo dela, mesmo quando está no seu melhor, não será o corpo retocado das mulheres desses sites pornográficos. Quando ela tiver 50 anos, muito menos. Se ele não cultivou um tipo de amor puro por sua esposa, por si mesma como ela é, então os olhos dele estarão navegando continuamente além do que ela tem a oferecer aos 40, 50 e 60 anos.
 
Uma mulher precisa ser capaz de confiar em um homem. Ela precisa acreditar que ele concorda quando ela diz: “Eu sou o que você tem. Eu sou o que você precisa. Você não precisa ter olhos para outra mulher”. Uma mulher sente-se profundamente comprometida quando um homem lhe diz: “Não, eu realmente preciso de mais do que você pode me oferecer”. Isso é algo trágico para um homem dizer a uma mulher. Portanto, o pornô é destrutivo para a capacidade dele de amá-la por quem ela é.
 

4. Pornografia devasta almas

Aqui está a quarta e a última coisa que direi sobre porque é tão errado um homem fazer isso. A pornografia é destrutiva para a alma de um homem. Sua capacidade de ver Deus, a pureza e a grandeza de sua glória, são reduzidas. Fica comprometida.
 
A alma tende a encolher ao tamanho e à qualidade de seus prazeres. Um homem pode dizer à sua alma: “Adapte-se agora a esse prazer mesquinho, breve, imundo e egoísta. Adapte-se a isso, alma. Conforme-se, forme-se em torno disso, alma. E se ele o fizer, tornará sua alma pequena.
 
Quando uma alma encolhe a esse ponto, não é capaz de fazer muito em relação a Deus, não será capaz de ver Deus, não será capaz de deleitar-se em Deus, em nenhuma das coisas dadas por Deus nas quais deveria deleitar-se, nos prazeres gloriosos que ele nos oferece em sua Palavra e em seu mundo.
 
Então, essas são as razões que eu apresentaria a essa mulher e a todos os homens que podem estar ouvindo, os motivos pelos quais é tão errado ele procurar pornografia.
 

Não abaixe seus padrões

Agora, de volta à sua pergunta. Ela queria saber: “Não é possível que um homem seja forte o suficiente na fé, tenha alegria suficiente em Jesus e tenha um relacionamento inteiramente satisfatório com ele para poder vencer isso? Sua indulgência frequente à luxúria não é prejudicial?” E minha resposta é que ela está certa. Um relacionamento inteiramente satisfatório com Jesus significa que Jesus é precioso o suficiente para que o valorizemos acima dessas quatro razões.
 
Essas quatro razões onde eu expliquei por que a pornografia é algo errado, se tornam convincentes se Jesus é o nosso tesouro. Se Jesus não for apenas uma doutrina, mas o Senhor, o amigo, o Salvador e o tesouro supremo de nossas vidas, do jeito que deveria ser, então não odiaremos continuamente as mulheres com nossas escolhas de humilhá-las e promover sua destruição. Não estaremos continuamente cometendo adultério em nossos corações com essas mulheres. Não estaremos contaminando continuamente nossa capacidade de amar nossas esposas presentes ou futuras. Não diminuiremos continuamente a capacidade de nossa alma de saborear as glórias de Deus. Nós não faremos essas coisas, porque Jesus é totalmente diferente disso.
 
Um homem que diz continuamente: “Eu abraço toda essa destruição, abraço todo esse mal, abraço toda essa imundície, abraço toda essa idolatria e esse ódio pelas mulheres” está dizendo algo que uma mulher, que está prestes a se casar com ele, deve ouvir de modo alto e claro.
 
À sua última pergunta – “Seria um rompimento do compromisso se esse homem não conseguir vitória sobre a pornografia, se a estiver procurando regularmente?” – Eu diria: “Sim, isso é um rompimento do compromisso”. Agora eu não sou uma mulher e, portanto, não posso fazer isso pessoalmente. Eu apenas diria a ela: “Você me parece uma mulher de extraordinária graça, não de legalismo. Você me parece uma mulher que luta por padrões bíblicos, não padrões artificiais, irreais e perfeccionistas. Eu ouço graça em sua pergunta. Não ouço fragilidade. “E eu diria: “Não baixe a barra”.
 
Acho que baixamos demais a barra. Tratamos os homens como cães no cio, em vez de homens criados à imagem de Deus e que têm o Espírito Santo, cujo fruto é amor, alegria e autocontrole. Esse último, autocontrole, é geralmente usado em relação à sexualidade. Os homens não são vítimas e essas mulheres têm o direito de esperar mais de nós.
 
Eu diria a ela e às outras mulheres: “Não abaixe seus padrões. Deus está no processo, eu creio, agora mesmo, para purificar a alma e o corpo de um homem para você”.
 
Esse é o conhecimento que liberta da luxúria, o conhecimento que é fé. É um conhecimento tão real e precioso, tão satisfatório para sua alma que, quando qualquer atitude, emoção, pensamento ou dependência ameaçar diminuir sua capacidade de ter e desfrutar desse conhecimento, você luta como se sua própria vida estivesse ameaçada, porque na verdade está.
 
Você se lembra de 1 Pedro 2.11? “Amados, exorto-vos, … a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma”. Sua vida está em risco dependendo da maneira como você luta contra seu inimigo chamado luxúria.

Júnior Meireles

Júnior Meireles

Júnior Meireles é casado com Michele Meireles, pai da Isabela e do Heitor, criador da mobilização nacional NAMORO COM PROPÓSITO, bacharel em teologia, escritor de nove livros para solteiros, namorados e noivos e atua como conselheiro de jovens desde o ano de 2007.

Gostou? Compartilhe:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on telegram
Telegram
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe seu comentário:

Artigos Relacionados: