Perdoar nem sempre significa conviver e reatar o relacionamento!

____________________
 

Perdoar é necessário! Não é nada sábio viver guardando mágoas e sentimentos ruins. O peso da falta de perdão adoece, impede o crescimento e nos separa das coisas que Deus tem reservado para nossa vida.

Você conhece a história dos monges e das batatas?

Deixe-me te contar:

Um monge tibetano pediu para que seus alunos separassem uma batata para cada pessoa de quem sentiam mágoas, escrevessem os nomes dessas pessoas nas batatas e as colocassem dentro da bolsa.

A tarefa era levar as batatas onde fossem durante uma semana.

Naturalmente as batatas foram apodrecendo com o tempo.

E o incômodo de carregar a bolsa com as batatas podres, a cada momento, mostrava-lhes o tamanho do peso espiritual diário que a mágoa ocasiona.

O que acontece espiritualmente com quem não perdoa?

“A falta de perdão é como armazenar lixo dentro de nós”. (Jonas Abib – Sacerdote Católico)

Assim como aconteceu com os monges que carregavam batatas podres nas costas, acontece conosco! Não perdoar é carregar um peso espiritual enorme sobre si, é ser esmagado pela dor, conviver com o mau cheiro das lembranças negativas e viver arrastando o passado.

Não bastassem os problemas emocionais e físicos que a falta de perdão pode ocasionar, também existe a questão espiritual e essa é sem sombra de dúvidas a pior consequência da falta de perdão.

Conheça o livro Deus une propósitos. Clique aqui

A Bíblia ensina que quem não perdoa está impedido de receber o perdão de Deus.

Não sabia?

Este ensinamento está presente na oração do Pai nosso que diz o seguinte: Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. (Mateus 6:12)

Está claro por meio deste texto que nós somos perdoados por Deus assim como nós perdoamos aqueles que nos ofendem.

E Jesus deixou isso muito claro quando disse: Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas”. (Mateus 6:14,15)

Percebe o problema espiritual que alguém que não perdoa atrai sobre si?

 

O que acontece com quem perdoa?

“Você quer ser feliz por um instante? Vingue-se. Você quer ser feliz para sempre? Perdoe”. (Tertuliano – Apologeta cristão do século II)

 
 

Um dos efeitos mais paradoxais da falta de perdão é que a pessoa mais prejudicada em não perdoar somos nós mesmos.

Certamente,  você já deve ter ouvido a frase: “não perdoar é tomar veneno esperando que o outro morra”.

Pois é, quando não perdoamos fazemos mal a nós mesmos.

Mas quando tomamos a decisão de perdoar, nos livramos do peso da mágoa, do mau cheiro de sentimentos apodrecidos que só nos fazem mal e permitimos que nossa vida prospere.

Há um ensinamento de Jesus que se encaixa aqui, Ele disse: “Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, pois o remendo forçará a roupa, tornando pior o rasgo. Nem se põe vinho novo em vasilhas de couro velhas; se o fizer, as vasilhas se rebentarão, o vinho se derramará e as vasilhas se estragarão. Pelo contrário, põe-se vinho novo em vasilhas de couro novas; e ambos se conservam”. (Mateus 9:16,17)

O que este ensinamento de Jesus tem a ver com perdão?

Tudo!

Jesus está dizendo que para ele liberar coisas novas sobre nossa vida, precisamos nos livrar do velho e isso, envolve nos livrar de coisas negativas.

No que diz respeito a vida sentimental, existe uma frase de Pitágoras, que se encaixa perfeitamente aqui, ele disse: “Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda num recipiente sujo“.

O que não é perdoar?

“O fraco jamais perdoa: o perdão é uma das características do forte”. (Mahatma Gandhi – líder pacifista indiano)

A falta de entendimento correto sobre o que de fato é perdão, faz com que as pessoas tenham certo preconceito sobre o assunto ou até mesmo que não sejam capazes de perdoar da maneira correta.

Há pessoas que têm uma forma equivocada de entender o perdão; acreditam que é uma forma de competição que pontua, premiando um ganhador e castigando um perdedor. Algo do tipo: se eu perdoo, estou dizendo que ele ou ela estava certo.

Conheça o livro Mude, antes que seu relacionamento seja destruído. Clique aqui

Mas será que é isto o que acontece quando perdoamos?

Não mesmo!

Perdoar não é:

  • Liberar a outra pessoa sem consequências de de seus atos, ela certamente vai ter que se acertar com Deus;

  • Ceder e admitir que o outro está certo;

  • Fingir que nada aconteceu;

  • Admitir que sua raiva não é justificada;

  • Ser obrigado a conviver com alguém que pode feri-lo novamente.

O que é perdoar?

“Perdoe os outros, não porque eles merecem perdão… Mas porque você merece paz”. (Mário Quintana – Poeta brasileiro)

Como vimos, a falta de perdão afeta mais a nós mesmos do que ao outro e neste contexto, é importante que você compreenda que o ato de perdoar também é algo que trará mais benefícios a você do que a qualquer outra pessoa.

O perdão tem a ver  com uma decisão de não permitir que o passado dirija ou determine seu futuro. É decidir que o mal que lhe causaram não vai ter efeitos além da reflexão e do aprendizado.

Neste sentido, perdoar é:

  • Viver livre de rancores ou ressentimentos;

  • Abrir espaço para que as feridas sejam curadas;

  • Ajudar você a focar sua atenção nos aspectos positivos da vida;

  • Dar uma grande oportunidade a você de começar do zero;

  • Permitir que você viva o novo;

  • Evitar que os problemas emocionais vivam te perseguindo;

  • Estar pronto para novas experiência;

  • Uma atitude de obediência a Deus;

  • Colocar-se na posição de ser perdoado por Deus;

  • Libertar-se: é sua escolha, você tem o poder sobre seus sentimentos.

Philip Yancey disse que: “O perdão é a única alternativa que pode deter o ciclo do ódio, da culpa e da dor”. 

Mas perdoar significa conviver e reatar?

“Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”. (Romanos 12:18 – A Bíblia)

 

Não, nem sempre perdoar significa reatar e conviver. Algumas vezes por mais que a gente queira, não é possível conviver com determinadas pessoas.

Veja o que Jesus ensinou: “Olhai por vós mesmos. E, se teu irmão pecar contra ti, repreende-o e, se ele se arrepender, perdoa-lhe. E, se pecar contra ti sete vezes no dia, e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me; perdoa-lhe”. (Lucas 17:3,4)

Obviamente, Jesus não está dizendo que para perdoarmos a pessoa precisa vir até nós, se olharmos em outros textos veremos que o perdão deve ser liberado mesmo que a pessoa não reconheça que errou.

Então, o Jesus está falando sobre o que aqui?

Jesus está ensinando que a condição sine qua non para reatar uma convivência com alguém que nos feriu é o arrependimento.

E arrepender-se é mudar de atitudes. 

O que é conviver?

“Você não precisa sair de um lugar porque a pessoa está lá ou evitar encontrá-la”. (Júnior Meireles)

Para evitar qualquer interpretação incorreta sobre o que estou dizendo, quero que você saiba que o significado da palavra conviver, significa viver junto.

Neste caso, quando digo que nem sempre perdoar significa conviver estou querendo dizer que perdoar não significa que você tenha que reatar um relacionamento amoroso ou ter que conviver normalmente com que nos feriu.

É claro que você não precisa sair de um lugar porque a pessoa está lá ou evitar encontrá-la.

Se isto acontece e se você não é nem mesmo capaz de estar em um lugar com alguém que lhe feriu no passado, este é sim o sinal de que você não perdoou.

Conheça o livro Deus une propósitos. Clique aqui

Paulo escreveu:

Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. (Hebreus 12:14)

Isto quer dizer que é nossa obrigação como cristãos estar em paz com todas as pessoas.

Precisamos perdoar e evitar guardar ressentimentos em relação aos outros.

Porém, o mesmo Paulo também escreveu:

“Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”. (Romanos 12:18)

Nem sempre depende de nós ter paz com os outros e as vezes, tentar manter um relacionamento amoroso com alguém que vive nos ferindo, só resultará em problemas.

Tem gente que além de não se esforçar para viver em paz, vive nos ferindo e causando dores.

Neste caso, devemos perdoar, mas perdoar não quer dizer que tenhamos que continuar convivendo com alguém que vive nos ferindo.

Paulo sabia muito bem que a paz não é o resultado de um mero desejo, é preciso esforço das duas partes para que um relacionamento sobreviva após um problema que tenha causado magoa e se só uma parte se esforça, só uma parte deseja o futuro do relacionamento.

Não dá para amar sozinho, é preciso que o outro se esforce para melhorar, mudar e se tornar uma pessoa melhor para continuarmos convivendo com ele.

Neste caso, quando é possível reatar e quando não é possível?

“Que nenhuma relação consuma sua saúde mental a ponto de você questionar o seu valor, seu lugar no mundo, suas conquistas, aquilo que você é e construiu, o seu percurso até aqui”. (Autor desconhecido)

É preciso separar as coisas – uma coisa é perdoar e outra é conviver. Não venha com essa de que são as mesmas coisas, pois não são.

Tendo entendido isto, é necessário discernir que tipo de pessoa merece que a gente seja continue convivendo após errar e qual tipo de pessoa precisamos cortar da nossa vida.

Tem gente que pisa na jaca, mas não faz por mal. É gente que erra sem intenção de errar.

Mas tem gente que erra conscientemente e com o desejo de nos prejudicar.

Neste caso, a gente deve continuar convivendo com quem deseja o nosso bem, quem nos fere para dar uma sacudida e nos mostrar que estamos caminhando a passos largos e de olhos fechados para o abismo.

A gente continua convivendo com quem não desiste de nós, quem nos suporta nos piores dias e vê o melhor de nós mesmo quando erramos.

Esse tipo de pessoa quando erra merece nossa paciência e merece que a gente continue caminhando junto por mais uma, duas ou três milhas.

 

Mas por outro lado, tem gente que só merece o perdão e por mais que a gente perdoe é melhor seguir caminhos diferentes.

Não concordo com a ideia de que quem perdoa esquece. Isso é amnésia, não perdão.

Não concordo que perdoar sempre signifique reatar e seguir junto.

Nem sempre é assim.

Perdoar nem sempre quer dizer dar uma chance ao outro e ao relacionamento. Perdoar é dar uma chance a nós mesmos e essa chance pode ser seguir em frente sem peso, sem dor, sem pessoas que nos ferem a todo tempo e sem sentimentos negativos.

Aproveite a promoção e adquira 3 livros para solteiros, namorados e noivos pelo preço de 2. Clique aqui

Por isso, deixe ir as pessoas tóxicas, que azedam o dia e sempre causam problemas, esse tipo de gente merece perdão e um até logo.

Talvez assim a pessoa cresça, amadureça e melhore.

Conclusão:

“Se quiser encontrar sua felicidade na Terra, deve começar a esquecer as ofensas. Perdoe a todos pelo mal que lhe fizeram”. (Zíbia Gasparetto – Autora brasileira)

O Pastor Josué Gonçalves escreve algo muito oportuno sobre perdão e é com as palavras dele que concluímos este artigo, ele diz: “Perdoar é deixar nas mãos de Deus a conta do ofensor. Quando entregamos nas mãos de Deus a conta, estamos reconhecendo que só o Senhor tem o direito de julgar, a nós cabe simplesmente perdoar.

Muitos dizem, fui ofendido, prejudicado, ferido e perdoei, porém, como fica o ofensor? Se o ofensor se arrepender, ele será graciosamente perdoado pelo Senhor e consequentemente a conta será rasgada, porém se não houver arrependimento, Deus o julgará. Lembre-se, Deus é amor mas também é justiça”.

Júnior Meireles

Júnior Meireles

Júnior Meireles é casado com Michele Meireles, pai da Isabela e do Heitor, criador da mobilização nacional NAMORO COM PROPÓSITO, bacharel em teologia, escritor de nove livros para solteiros, namorados e noivos e atua como conselheiro de jovens desde o ano de 2007.

Gostou? Compartilhe:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on telegram
Telegram
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe seu comentário:

Artigos Relacionados: